Domingo, 25 de Junho de 2017
Ciência e Saúde
19/05/2017 15:41:00
Mais de 3 mil pessoas ainda não se vacinaram contra a gripe em Coxim

Da assessoria/PCS

Imprimir
Foto: Divulgação/PMC

Faltando 8 dias para o fim da campanha de vacinação contra a gripe, mais de 3 mil pessoas que se enquadram nos grupos prioritários, estabelecidos pelo Ministério da Saúde, ainda não compareceram aos postos.

A Secretaria Municipal de Saúde tem com meta vacinar 7.451 pessoas em Coxim até o dia 26 de maio, último dia da campanha de vacinação, porém, até hoje (19 de maio) metade ainda não foi receber a vacina. A campanha teve início no dia 17 de abril.

Devem comparecer aos postos de vacinação:

Crianças de 6 meses a menores de 5 anos;

Gestantes em qualquer idade gestacional

Puérperas (até 45 dias após o parto);

Indígenas;

Maiores de 60 anos;

Professores das redes pública e privada;

Portadores de doenças crônicas não transmissíveis com comorbidades (com prescrição médica).

"Quem se enquadrar em quaisquer desses grupos deve procurar um dos postos com a caderneta de vacinação", recomenda o secretário de Saúde de Coxim, Rogério Souto.

É importante que as pessoas se vacinem neste momento, para estarem protegidas no inverno, quando os vírus da Influenza começam a circular com maior intensidade.

“A vacina demora cerca de 15 dias para fazer efeito após aplicada, por isso é necessário que as pessoas, integrantes do público-alvo, se conscientizem e procurem os postos de saúde para se vacinarem antes do período de inverno”, aconselhou Rogério.

A vacina está disponível somente para pessoas nesses grupos prioritários nas seguintes unidades de saúde: Policlínica Lourdes Fontoura; ESF Ilda Kohl; ESF Totó Araújo; ESF Argemiro Barbosa, no bairro Silviolândia; ESF Marechal Rondon; ESF Jorge Ritt e ESF Santa Maria.

Os portadores de doenças crônicas não transmissíveis, que inclui pessoas com deficiências específicas, devem apresentar prescrição médica no ato da vacinação. Pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do SUS deverão se dirigir aos postos em que estão registrados para receber a vacina, sem a necessidade de prescrição médica.

A escolha dos grupos prioritários segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Essa definição também é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe. São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias.

PREVENÇÃO

A transmissão dos vírus influenza acontece por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz).

À população em geral, o Ministério da Saúde orienta a adoção de cuidados simples como medida de prevenção para evitar a doença, como: lavar as mãos várias vezes ao dia; cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar; evitar tocar o rosto; não compartilhar objetos de uso pessoal; além de evitar locais com aglomeração de pessoas.

É importante lembrar que, mesmo pessoas vacinadas, ao apresentarem os sintomas da gripe - especialmente se são integrantes de grupos mais vulneráveis às complicações - devem procurar, imediatamente, o médico.

Os sintomas da gripe são: febre, tosse ou dor na garganta, além de outros, como dor de cabeça, dor muscular e nas articulações. Já o agravamento pode ser identificado por falta de ar, febre por mais de três dias, piora de sintomas gastrointestinais, dor muscular intensa e prostração.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias