Quarta-Feira, 18 de Julho de 2018
Coxim
13/04/2018 12:15:00
Enterrar o filho adolescente foi apenas um dos dramas vividos por dona Denise
Separada, mãe de outros filhos excepcionais, ela tem dificuldades para manter a casa, inclusive com alimentos.

Sheila Forato

Imprimir
Denise foi para o rio aguardar o filho chegar (Foto: PC de Souza)

Na manhã desta quinta-feira (12) – faltando exatamente um mês para o dia das mães – Denise Pereira de Oliveira, de 38 anos, viveu o pior dia de sua vida. As margens do rio Taquari, em Coxim a imagem era de uma mãe desolada, esperando pela embarcação dos bombeiros, que trazia o corpo de seu filho, enrolado num plástico.

Era o fim de uma espera de quase três dias. Juliano Pereira de Oliveira, de 15 anos, se afogou na tarde de segunda-feira (9), em consequência de uma traquinagem, feita com um colega da mesma idade. Mas, isso, hoje nem vem mais ao caso, pois o preço foi alto demais e a conta não fecha, ao menos no coração de uma mãe, que acaba de enterrar o filho.

Entretanto, esse não é apenas o drama vivido por dona Denise, que ainda tem outros filhos para cuidar, de 12 e 13 anos. Sem muito estudo, a dona de casa é mais uma das mulheres que abriu mão de realizações pessoais para se dedicar ao marido e aos filhos. Por conta dessa situação, atualmente passa por dificuldades, até mesmo para alimentar sua família.

O marido recentemente pediu a separação e ela se viu sozinha com três filhos para criar, aluguel para pagar e uma pensão que quase nunca vem no dia certo. Como se não todo desafio fosse pouco, um dos filhos é excepcional. Porém, o que para muitos seria um problema, para ela é uma benção.

Ela contou que o outro filho também tem problemas psiquiátricos, recentemente descobertos. Isso tudo implica na aquisição de remédios, que junto ao aluguel de uma casa simples no bairro Santa Maria consome boa parte da renda da família, que praticamente vive do benefício do filho excepcional.

Diante dessa situação, que veio a tona com a perda da família, uma professora da Escola Estadual Silvio Ferreira deu início a uma campanha para ajudar dona Denise. Se você puder ajudar, principalmente com mantimentos, pode levar até o endereço da família, que mora na rua Ranulfo Reginaldo dos Santos, número 80, no Santa Maria. A mãe não tem condições de recolher as doações, mas, contatos podem ser feitos pelo 67 9.9630-5526.

COMENTÁRIO(S)
Últimas notícias